A Rebeldia do Transformado

“Quando você se trabalha com Mantras e muda de uma bolha de existência repleta de problemas para uma outra muito melhor, em determinado momento é como se o Universo lhe perguntasse: Mas Seu Fulano, porque que o senhor sempre quis que eu lhe tratasse tão mal? E ai como é que vai explicar para ele que o grande culpado desta novela dolorida foi o nome que seus pais lhe deram?”

Gilson Chveid Oen

As pessoas têm muito medo daqueles que passaram a conhecer a si mesmos e que construíram para si próprios uma nova realidade. Estes têm um certo poder, uma certa aura, um certo magnetismo e deles emanam campos de força capazes de fascinar os jovens, ainda cheios de vida, e libertá-los do seu aprisionamento tradicional.

Para os governos estas pessoas se tornam muito perigosas.

O homem iluminado não pode ser escravizado – este é o problema – e não pode ser feito prisioneiro. Todo gênio que tenha conhecido um pouco da sua essência está fadado a ser tornar um indivíduo difícil de ser absorvido: ele deverá ser uma força perturbadora.

As massas não querem ser perturbadas, ainda que se encontrem na miséria; estão na miséria, mas estão acostumadas com isso, e qualquer um que não seja um miserável parece um estranho, um soberbo.

E os políticos mantém os miseráveis na miséria em que se encontram para poder afastá-los de suas verdades e, assim, controlá-los.

O homem iluminado é o maior forasteiro do mundo; ele parece não pertencer a ninguém. Nenhuma organização consegue confiná-lo, nenhuma comunidade, nenhuma sociedade, nenhuma nação.

Ele é senhor do seu próprio destino. Ele se tornou um sol, e dele emana uma luz produzida por sua própria verdade, arduamente conquistada.

Rico ou pobre, o transformado é um rebelde que se tornou de fato um imperador, porque quebrou as correntes criadas pelo seu conjunto de crenças inconscientes original e pelas opiniões da sociedade. Ele migrou para uma nova bolha de existência e nela construiu uma nova realidade para si mesmo. Abraçou todas as cores do arco-íris, aflorando das raízes obscuras e amorfas do seu passado inconsciente, e criou asas para voar para o céu, passando a ter o Universo como um grande e carinhoso parceiro seu.

Dentro da sua nova maneira de existir se tornou um rebelde, não porque tenha passado a lutar contra alguém ou contra qualquer coisa mas, porque descobriu a sua própria natureza verdadeira e se determinou a viver de acordo com ela.

A águia é o animal com o qual ele passou a se identificar espiritualmente, tornando-se um mensageiro entre a terra e o céu.

A rebeldia do transformado nos desafia a ser suficientemente corajosos para assumir a responsabilidade por quem somos, e para viver a nossa verdade, pois somente assim poderemos viver um estado democrático de verdade.

One thought on “A Rebeldia do Transformado

  • 4 de outubro de 2020 em 06:18
    Permalink

    Meu Deus eu sou desce jeito não aceito viver a realidade que estou passando sou muito mas que isso descobri o universo ao meu favor só não sei como acessalo

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.